Passar para o Conteúdo Principal Top
C.M. Ílhavo - Voltar ao início
share rss facebook

Requalificação do edifício-sede do Illiabum Clube

Illiabum_clube.jpgNo âmbito do programa de Parceria para a Regeneração Urbana do Centro Histórico de Ílhavo e com comparticipação de fundos comunitários (FEDER), encontra-se prevista a obra de «Reabilitação do Edifício-sede do Illiabum Clube», num regime de parceria com a Câmara Municipal de Ílhavo e sob a titularidade do Illiabum Clube.

Pretende-se com esta intervenção resolver um conjunto de patologias que a atual construção denota, ao que se vem juntar a necessidade da reformulação dos moldes em que aquele conjunto de espaços poderá ser melhor aproveitado, em função de uma distinta realidade e objetivos do Clube, nomeadamente pelo aproveitamento do potencial deste imóvel para criar condições adequadas para o alojamento do corpo de atletas não residentes.

No que respeita às características externas da edificação, coberturas, volumetria, posicionamento de vãos, elementos decorativos, etc. defende-se a manutenção quase integral do existente bem como a reposição das características da construção inicial.

Tratando-se de uma construção com mais de sessenta anos estamos em presença de espaços com muitas condicionantes relativamente à possibilidade da implementação rigorosa do conjunto de requisitos técnicos atualmente exigíveis do mesmo modo que relativamente às exigências mais recentes em matéria de acondicionamento térmico e acústico. Contudo, consegue-se no projeto salvaguardar de modo que se considera satisfatório, os parâmetros ali consignados.

 

Ao nível do programa tomou-se por orientação um conjunto de premissas e preocupações definidas pelos responsáveis daquela instituição, a saber:

  • Autonomização do piso térreo por via de um sistema de propriedade horizontal com destino de comércio ou serviços, estando tudo encaminhado para que venha a ser a nova sede local da Segurança Social;
  • Desenvolvimento de um sistema de alojamento que permita suprir as necessidades do Clube no que concerne aos seus atletas não residentes (que nesta fase são 5/6 elementos);
  • Manutenção de um espaço mais ou menos reservado, para a realização das reuniões e assembleias do Clube e
  • A reconfiguração dos moldes em que o atual ‘espaço recreativo’ é utilizado pelos associados.