Passar para o Conteúdo Principal Top
C.M. Ílhavo - Voltar ao início
share rss facebook

Requalificação da Escola Primária N.º1, na Rua Ferreira Gordo e adaptação a «casa da música»

ESCOLA_1.jpg

 

Na sequência dos programas de Parceria para a Regeneração Urbana do Centro Histórico de Ílhavo e decorrendo em grande medida do reforço das comparticipações de fundos comunitários conseguida pelo atual executivo, por um lado, e pela relocalização dos serviços neste momento ali sediados, por outro, foi possível lançar mão do projeto da requalificação e adaptação de um dos edifícios mais significativos do património do nosso centro histórico – a antiga escola primária n.º1 – com vista a ali sediar duas das mais representativas associações de índole cultural de Ílhavo: o Grupo Folclórico «O Arrais» e a Banda dos Bombeiros Voluntários (dita da Música Nova) e, por isso, a sua designação provisória de “casa da música”.

Pretende-se com esta intervenção resolver as necessidades já de longo tempo sentidas por estas entidades bem como um conjunto de patologias que a atual construção denota, aproveitando a sua adaptação aos requisitos funcionais específicos destas entidades.

No que respeita às características externas da edificação – coberturas, volumetria, posicionamento de vãos, elementos decorativos e pinturas – procurou-se o respeito e manutenção quase integral do existente e segundo as técnicas tradicionais tornando-se inevitável, contudo e por força do enquadramento a um novo paradigma, aduzir elementos de adaptação e de obra nova que se pretende sejam claramente percecionados como tal e não obstruindo uma leitura ‘histórica’ ou ‘arquitetónica’ da evolução física do objeto.

É neste contexto que deverá ser entendido o recurso a volumes e materiais contrastantes mas que não comprometem a edificação principal, nomeadamente na criação de um bloco de instalações sanitárias no local do antigo recreio coberto e de um novo sistema de acessibilidades: ao edifício por meio de uma rampa e ao recinto - para viaturas em situação de emergência, para o que houve necessidade de romper o cunhal dos muros de vedação.