Passar para o Conteúdo Principal Top
C.M. Ílhavo - Voltar ao início
share rss facebook

Simpósio Internacional Espaço e Ilusão: Teatros, Arquitectura e Património na Península Ibérica

Simpósio Internacional Espaço e Ilusão: Teatros, Arquitectura e Património na Península Ibérica
08 Abril 2013

Nos dias 4 e 5 de abril realizou-se no Teatro Nacional de São Carlos, em Lisboa, o Simpósio Internacional Espaço e Ilusão: Teatros, arquitetura e património na Península Ibérica, onde o projeto do Centro Cultural de Ílhavo foi apresentado como caso de estudo, no painel temático Territórios e programas.
Este evento foi organizado pelo Instituto de História Contemporânea Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, da Universidade Nova de Lisboa, Centro de Estudos Sociais, da Universidade de Coimbra e da Escuela Técnica Superior de Arquitectura, da Universidad Politécnica de Madrid.
Como a organização destacou, este Simpósio teve como objetivo abrir um diálogo entre estudiosos e técnicos protagonistas de ambos os países (Portugal e Espanha), responsáveis pelo estudo desta temática e pelo projeto e execução de muitas das intervenções recentes em espaços teatrais. O impacto destas realizações na deslocação dos novos equipamentos dos centros (históricos) para novas centralidades comerciais, a recuperação de teatros e auditórios como fatores de redefinição do tecido urbano, a importância de novas linguagens e de formas de interação do público com os espaços, a influência das novas tecnologias nas soluções arquitetónicas e cenográficas, foram alguns dos temas a abordar no Simpósio.
O evento reuniu de forma inédita, protagonistas portugueses e espanhóis que apresentaram experiências, contrapondo aspetos comuns e distintos da tradição da arquitetura teatral ibérica.
A Câmara Municipal de Ílhavo congratula-se com esta distinção ao Centro Cultural de Ílhavo, um equipamento cultural de excelência que celebrou recentemente o seu quinto aniversário e que se tem afirmado local e regionalmente como uma casa de cultura com padrões de qualidade reconhecidos, ancorada numa programação regular e intensa, possibilitada pela capacidades técnicas e estruturais que o edifício proporciona aos agentes culturais que nele trabalham.