Passar para o Conteúdo Principal Top
C.M. Ílhavo - Voltar ao início
share rss facebook

Mar Film Festival aproxima literatura ao cinema

Mar Film Festival aproxima literatura ao cinema
16 Abril 2019

Na terceira edição, o Mar Film Festival mostra como é curta a distância entre a literatura e o cinema, numa mesa redonda agendada para 27 de abril, sábado, às 17:00, após a exibição do filme “Moby Dick”, às 14:30, no Museu Marítimo de Ílhavo. O clássico do cinema, realizado por John Huston em 1958, baseado na obra homónima de Herman Melville, lançada em 1851, servirá de pretexto para início da conversa sobre “O mar entre a literatura e o cinema” – uma das novidades da edição 2019 do evento.

A mesa redonda colocará em diálogo uma escritora, um realizador e um especialista na ligação entre ambas as áreas: Ana Margarida de Carvalho, galardoada escritora portuguesa, que tem no mar um dos principais referentes da sua obra; Rodrigo Areias, que realizou e exibe no festival “Hálito azul”, uma obra inspirada em textos de Raúl Brandão sobre os Açores; e Abílio Hernandez Cardoso, especialista internacional sobre as relações entre cinema e literatura.

A entrada é gratuita durante todo o festival.

 

Mar Film Festival

A terceira edição do Mar Film Festival realiza-se de 26 a 28 de arbil, no Museu. O mar volta a ser a âncora de todas as curtas e longas metragens a exibir, cada uma com uma perspetiva diferente. Além dos filmes de ficção, documentário e animação, a apresentar ao longo do festival, serão entregues os prémios dos concursos Novas Vistas Lumière e Memórias RiaMar. Programa e mais informações: http://www.marfilmfestival.pt/

Ana Margarida de Carvalho é jornalista e escritora. Licenciada em Direito pela Faculdade de Direito de Lisboa, o seu primeiro romance “Que Importa a Fúria do Mar” valeu-lhe o prémio APE 2013. O mesmo livro foi finalista nos mais prestigiados prémios relativos à data de edição. Tem reportagens, contos e poemas espalhados por várias publicações e coletâneas e um livro infantil chamado “A Arca do É”, com o ilustrador Sérgio Marques. “Não se Pode Morar nos Olhos de um Gato” é o seu segundo romance, foi considerado livro do ano 2017, nomeado pela SPA, e vencedor do Prémio Manuel Boaventura.

Rodrigo Areias é produtor e realizador. Começou os estudos em Gestão na Universidade Católica Portuguesa, mas licenciou-se em Som e Imagem pela Escola das Artes da Universidade Católica Portuguesa, possuindo, ainda, um curso de especialização em Realização Cinematográfica da Tisch School of Arts da Universidade de Nova Iorque e o programa de produção Eurodoc. Desenvolveu atividade de formador nos workshops promovidos pela associação Filhos de Lumière.

Tem desenvolvido, ao longo da sua carreira, trabalhos criativos na área de cinema de autor em ficção e documentário, alternando com outros trabalhos em domínios de video-arte e vídeo clips para alguns dos melhores nomes da cena rock portuguesa e diversos outros projetos. Como produtor, começou a sua carreira em 2001 e desde então produziu e co-produziu mais de 70 curtas, longas, vídeos e documentários. Produziu autores de renome como Edgar Pêra, João Canijo e F. J. Ossang, bem como jovens realizadores como André Gil Mata, João Rodrigues e Jorge Quintela. Tem co-produzido com o Brasil, Reino Unido, França, Alemanha e Finlândia. Como realizador, entre vários filmes, destaca-se “Tebas” (longa metragem) e “Corrente” (curta metragem), com os quais esteve representado em mais de 50 festivais internacionais e foi galardoado com uma dezena de prémios. A sua segunda longa-metragem estreou em Competição Oficial no Festival Internacional de Karlovy Vary e foi galardoado com uma Mensão Especial. Foi responsável pela produção de cinema de Guimarães 2012 Capital Europeia da Cultura.

Abílio Hernandez Cardoso, professor catedrático da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra (FLUC), embora vindo da área da Filologia Germânica, tem um amplo trabalho de investigação e de palestras na dimensão do Cinema a que progressivamente se foi votando. Diretor da Sala de Estudos Cinematográficos da FLUC, professor de disciplinas de Cinema oferecidas à Academia conimbricense, promotor da Licenciatura em Estudos Artísticas da mesma Universidade, apresenta vasta obra. Ocupou vários prestigiados cargos, nomeadamente, Pró-Reitor da Universidade de Coimbra, Presidente de «Coimbra Capital da Cultura», membro da Comissão Nacional para as Comemorações do Centenário do Cinema e Diretor do Teatro Académico Gil Vicente.