Passar para o Conteúdo Principal Top
C.M. Ílhavo - Voltar ao início
share rss facebook

Seminário Nacional Eco-Escolas trouxe mais de 400 participantes a Ílhavo

Seminário Nacional Eco-Escolas trouxe mais de 400 participantes a Ílhavo
02 Fevereiro 2017

A edição 2017 do Seminário Nacional Eco-Escolas, que teve lugar de 20 a 22 de janeiro, trouxe mais de 400 participantes ao Município de Ílhavo, este ano eleito o Município acolhedor do evento, com o objetivo de debater as Estratégias e o Futuro da Educação Ambiental Nacional.


Teve como momento alto a apresentação pública, pelo Ministro do Ambiente João Pedro Fernandes, da Estratégia Nacional de Educação Ambiental, mas a discussão em volta dos Objetivos para o Desenvolvimento Sustentável (2030), a abordagem dos temas Floresta, Geodiversidade e Alimentação Saudável e Sustentável e um diversificado número de temas de sustentabilidade abordados em workshops, constituíram-se como alguns dos momentos mais relevantes do Programa, que deu espaço ainda para uma Eco-Mostra com a presença de diversas entidades, entre as quais alguns produtores locais.


O Programa Eco-Escolas, que conta este ano com mais de 1500 escolas inscritas em mais de 230 Municípios, e cuja coordenação está, há 20 anos, a cargo da Associação Bandeira Azul da Europa (ABAE), tem por objetivo principal a distinção das boas práticas ambientais ao nível das Comunidades Escolares e tem tido em Ílhavo um dos mais empreendedores e pró-ativos municípios nacionais, mantendo-o como um dos que anualmente mais bandeiras verdes – galardão máximo e final – tem recebido. Por isso, na Sessão de Abertura, houve também lugar à Certificação da Qualidade das Eco-Escolas Nacionais, na qual figuraram 10 Estabelecimentos do Município, distinção que resulta da promoção, pela Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares (DGEstE), de Auditorias Externas.


A Câmara Municipal de Ílhavo já traçou, a este nível, o ambicioso objetivo de atingir os 100% de Eco-Escolas no final do presente ano letivo 2016/2017 (depois de no anterior ter chegado aos 54%).

 

(Imagem André Neto)