Passar para o Conteúdo Principal Top
C.M. Ílhavo - Voltar ao início
share rss facebook

A Câmara Municipal de Ílhavo enaltece a vitória do Museu Vista Alegre nos Prémios RegioStars 2018

Regiostars 1 1024 2500
10 Outubro 2018

O Museu Vista Alegre venceu um dos prémios europeus RegioStars 2018, promovidos pela Comissão Europeia, sendo o projeto eleito e preferido do público ao recolher o maior número de votos. A distinção foi divulgada ontem, 9 de outubro, em Bruxelas, em cerimónia que teve lugar ao final do dia.
A candidatura apresentada, que se perfilou com uma das 21 finalistas, incidiu na Requalificação e Ampliação do Museu da Vista Alegre, projeto percursor de toda a requalificação do chamado “Lugar da Vista Alegre”, em Ílhavo.

O Presidente da Câmara, Fernando Caçoilo, presente na cerimónia de entrega dos prémios, congratulou-se pela conquista, pelo Museu Vista Alegre deste importante prémio europeu, reconhecendo «a importância que esta distinção tem para a afirmação cultural, patrimonial, económica e turística do Município, face ao indiscutível papel empresarial, económico e social que a Vista Alegre e a sua história representam». Além disso, Fernando Caçoilo não quis deixar de «felicitar a Vista Alegre e o Grupo Visabeira, a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDR-C), a Direção Regional de Cultura do Centro, a Turismo Centro Portugal e toda uma equipa empresarial e municipal que se envolveu com forte empenho e dedicação, quer no projeto de reabilitação do Museu, em 2010, quer na presente candidatura e que resultou na conquista do importante prémio RegioStars2018 e que transforma o Museu Vista Alegre, a partir de agora, num Património da Europa».

O Museu Vista Alegre é guardião de um acervo que testemunha quase dois séculos de vida da marca e da empresa, incluindo a componente social de vanguarda que a Vista Alegre sempre assumiu ao longo da sua história. Componentes como o Teatro, a Filarmónica, o Futebol ou os Bombeiros são apenas exemplos de algumas das várias áreas indissociáveis da história da marca. O trabalho realizado contemplou a área mais visível do espaço museológico, mas também teve uma componente menos percetível na intervenção de conservação, restauro, estudo, pesquisa, catalogação e aquisição de peças, que permitiram constituir um acervo já estudado de cerca de 40.000 peças, tornando-o um dos maiores do mundo no seu género.

Os prémios europeus RegioStars identificam e valorizam as boas práticas ao nível do desenvolvimento regional e destacam projetos originais e inovadores.