Passar para o Conteúdo Principal Top
C.M. Ílhavo - Voltar ao início
share rss facebook
Início
Visite ÍlhavoVisit Ilhavo

Por caminhos de Vale de Ílhavo

 

São 13,5 kms por estradas quase exclusivamente secundárias e caminhos de terra batida num enquadramento cénico pleno de floresta e caminhos agrícolas nas margens do Canal do Boco. O trilho inicia-se em Vale de Ílhavo, terra de padeiras e das suas fabulosas padas e folares, e passa pela Ermida, antigo concelho, hoje integrado em Ílhavo, pela Pedricosa e pela Lavandeira, ambas já no Município de Vagos, para regressar à piscina descoberta de Vale de Ílhavo, onde poderá relaxar.

 

 

 

Ficha técnica:

Início/Fim: Piscina Municipal de Vale de Ílhavo

Âmbito: Ambiental e Paisagístico mas também cultural e gastronómico

Tipo de Percurso: Maioritariamente por caminhos secundários (em terra batida e alguns em alcatrão)
Distância: 13,5 km em circuito
Duração: 2,5 horas
Nível de Dificuldade: Baixo
Desníveis: pouco significativos
Época aconselhada: todo o ano, embora a primavera seja a altura ideal para o birdwatching

 

 

Pontos de passagem:

 

  • Vale de Ílhavo

A sul de Ílhavo, é reconhecida pelas suas Padeiras, que preparam padas e folares, e também pelo seu Carnaval tradicional. É uma povoação semirural, onde pode contactar-se com a agricultura e a silvicultura, a arquitetura vernácula característica e, nalguns casos, influências de Arte Nova e dos "torna viagens" nas fachadas. 

 

  • Ermida

Historicamente, a Ermida foi um pequeno Concelho, distinto de Ílhavo, através da doação de carta de foral por D. Manuel, em 1514. Só em 1834, com o final do Absolutismo, passa a integrar Ílhavo. A Quinta do Paço da Ermida e a sua Capela, por onde se passa durante o passeio, eram o ponto central e mais destacado deste antigo Concelho, à qual ainda se associam algumas lendas regionais.

 

Datando do século XVIII, a Quinta do Paço da Ermida é constituída pelos jardins, dependências e por uma casa apalaçada. Terá sido mandada construir por Rui de Moura Manuel, irmão de D. Manuel de Moura Manuel, bispo de Miranda, com residência na Vista Alegre e que passaria largas temporadas no Paço da Ermida com a família. Atualmente, é propriedade da família Pinto Basto, desde há várias gerações, adquirida em 1812 por José Ferreira Pinto Basto (fundador da fábrica da Vista Alegre em 1824).  

De interesse na propriedade, que é atualmente uma residência particular, consta também uma Araucária de Norfolk (Araucaria heterophylla) classificada como árvore de interesse público em 1994 e que conta com quase 200 anos.

 

  • Quinta da Valenta

Exploração agrícola de grande dimensão onde, dependendo da época do ano, se podem observar maioritariamente o cultivo de batatas e de milho.

 

Toda esta área, e o ponto de observação sobre o Rio Boco, são bons locais para fotografar algumas das aves prioritárias da Zona de Proteção Especial da Ria de Aveiro como sejam a Águia pesqueira (Pandion Haliaetus), o Milhafre preto (Milvus migrans) e o Tartaranhão ruivo dos pauis ou águia sapeira (Circus Aeruginosos). Ainda bem recentemente aí foram avistadas Garças Vermelhas (Ardea purpurea).

 

  • Pedricosa e Lavandeira (Município de Vagos)

 

  • Minas do Vale das Maias (maioritariamente Município de Vagos)


Percorre um caminho paralelo a estas minas, onde pode ser observada a diversidade florestal local (para além do pinheiro bravo e do eucalipto habituais), numa zona de beleza excecional. Estas minas são ponto de captação de águas subterrâneas para o Município de Aveiro.

 

 

Outras sugestões de atividades e visitas:

 

 

Descubra aqui a gastronomia local...